Voltar ao site

O que é Design Sprint?

E como ele pode desenvolver produtos e processos na sua empresa?

· Treinamento,Corporativo,Metodologias,Facilitação,Design Sprint

Como o Design Sprint pode desenvolver produtos e processos na sua empresa?

O desenvolvimento de todo processo produtivo de uma empresa precisa ser muito bem planejado - isso porque, sem uma organização prévia, há uma maior tendência para erros e imprevistos no futuro. Em vista disso, usar o Design Sprint como uma ferramenta de planejamento, pode ser uma solução.

A metodologia do Design Sprint está sendo cada vez mais incorporada nas reuniões de planejamento de corporações no mercado. É uma excelente ferramenta para quem procura desenvolver produtos e processos na empresa de maneira eficiente e otimizada.

Resolver problemas de forma rápida e eficaz é o sonho de qualquer empresa. No entanto, garantir um fluxo de produção com excelência é um desafio que exige muita disciplina e uma boa gestão.

Em uma época em que o fluxo de informações que recebemos diariamente gera uma alta demanda de produção, saber como se adaptar e inovar no mercado competitivo é fundamental.

Não é novidade para ninguém que desenvolver um projeto é uma tarefa exigente e que, se não existir um bom planejamento e alinhamento de funções por trás, fica quase impossível tirar as ideias do papel.

E é aí que implementar a metodologia do Design Sprint pode fazer toda a diferença no seu negócio.

O que é Design Sprint?

O conceito de Design Sprint foi desenvolvido pelo Google Ventures, um departamento do Google que investe em novas empresas de tecnologia, e é uma das estratégias mais utilizadas no ambiente corporativo para a concretização de ideias e para a resolução eficaz de problemas.

 

A metodologia faz uma junção de conceitos como o Design Thinking, metodologias ágeis e práticas com enfoque em negócio, comportamento e inovação. Basicamente, o Design Sprint consiste em um processo de imersão de cinco dias de co-criação e trabalho intensos.

 

O método é feito de maneira colaborativa, onde equipes trabalham em conjunto para desenvolver produtos ou procedimentos na empresa. Durante os cinco dias de imersão produtiva, o Design Sprint ajuda o time a solucionar questões do projeto em desenvolvimento, assim como a sua implementação e funcionalidade.

 

Por ser interativo, o objetivo do Design Sprint é que projetos sejam desenvolvidos de maneira ágil, mas sem deixar de lado a qualidade de serviço. Isso porque a metodologia aplicada durante os cinco dias é uma maneira de promover inovações através da co-criação de protótipos e testes do produto, além de estimular a criatividade e a produtividade dos colaboradores, ao mesmo tempo em que constrói um relacionamento de confiabilidade e respeito mútuo entre os participantes.

Por que implementar o Design Sprint na empresa?

Imagine que a sua empresa precisa terminar o desenvolvimento de um produto, mas ainda existem muitas dúvidas em relação ao modelo. Parece que o projeto não anda e o time está desmotivado. O que fazer, então?

Nesses momentos, implementar o Design Sprint pode ser o que falta para que a equipe, de fato, aprimore o produto e solucione os maiores pontos de discussão a partir de testes de modelos. Tudo isso em um tempo reduzido de máxima produtividade.

Esse conceito é a saída mais assertiva para as empresas que buscam desenvolver seus projetos com maior efetividade. E o melhor de tudo: o Design Sprint pode ser usado até mesmo para tirar do fundo da gaveta aquele projeto que você sempre quis aplicar na sua empresa.

Transformar uma ideia em um projeto é um processo que pode ser bastante demorado, principalmente por causa de todos os detalhes envolvidos. Mas, utilizando o Design Sprint, é possível elaborar um cenário abrangente de todo o projeto, desde as suas ideias iniciais até os protótipos e modelagens para testes.

É como se a sua equipe estivesse prevendo o futuro para definir se o produto vai ser um sucesso ou não. Fazer as análises de feedbacks dos clientes, por exemplo, é uma ótima maneira de entender o que precisa ser aprimorado antes do lançamento do produto.

Entre as principais vantagens do Design Sprint, podemos citar:

  • Otimização dos processos produtivos;
  • Resolução rápida de debates;
  • Tirar as ideias do papel e chegar na etapa de testes com usuários em apenas cinco dias;
  • Evitar falhas ou erros de funcionalidade no futuro;

Como aplicar o Design Sprint?

Agora que você entendeu o que é o Design Sprint e qual a sua importância para auxiliar o desenvolvimento de projetos na sua empresa, chegou o momento de saber como aplicá-lo.

Antes de começar o processo, defina quem será a sua equipe e qual será o problema que vocês irão resolver durante os cinco dias de imersão produtiva. Com os objetivos alinhados e todos os recursos necessários para o trabalho, é hora de fazer um esforço e colocar a mão na massa!

O Design Sprint é dividido em cinco etapas, distribuídas ao longo dos cinco dias da semana definidos para a produção.

Clique para saber mais sobre Design Sprint!

1. MAPEAR: Na primeira etapa de implementação do Design Sprint, é o momento de entender e definir. O foco maior deste dia é fazer um mapeamento do problema pré-definido pela equipe. Desta forma, fica mais fácil entender quais são os desafios daquele projeto através do compartilhamento de informações.

2. DESENHAR: Já na segunda etapa, a intenção é divergir. Cada pessoa da equipe trabalha individualmente para propor soluções ao problema, compartilhando com os demais no final do dia. Esse estudo das hipóteses é fundamental para que a melhor ideia seja escolhida.

3. DECIDIR: Na terceira etapa, é a hora de decidir. A partir das soluções propostas, é preciso tomar as melhores decisões. A avaliação é feita por todos da equipe, em que a melhor ideia se torna uma hipótese para teste. Vale lembrar que essa ideia precisa ser aplicável, adaptável e relevante.

4. PROTOTIPAR: No quarto dia, finalmente é o momento de prototipar. A ideia começa a ter forma com um protótipo que deverá ser testado. O dia deve ser focado totalmente para a produção, distribuindo as tarefas entre a equipe para que, no final do expediente, um modelo do produto exista.

5. TESTAR: Por fim, o quinto e último dia é reservado para a validação. É nesse momento que a equipe vai descobrir se a ideia escolhida lá no primeiro dia é eficaz. Isso acontece com a apresentação do protótipo para os usuários testarem. O feedback é fundamental para que, no final do processo, a equipe decida se o projeto é eficiente.

Então, gostou de saber como o Design Sprint pode ajudar a sua empresa a desenvolver produtos e processos de maneira rápida e eficaz? Que tal começar a implementar a metodologia já? Entre em contato conosco para conhecer nossos serviços ou solicitar um orçamento!

Texto desenvolvido pela equipe de redação da SkilLab Treinamentos e Gamificação

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK